Distúrbios geniturinários: quais são os mais comuns?

Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes
Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes

Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes é médico urologista, formado pela Universidade Federal de São Paulo e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia – Seccional RJ (2010/11). Atualmente atua como cirurgião geral, com especialidade em prostatectomia robótica, cujo qual escreveu o livro intitulado “Cirurgia Minimamente Invasiva”. No artigo de hoje ele irá explicar o que é a urologia e quais são os distúrbios geniturinários mais comuns.

A urologia é uma especialidade da medicina que estuda o trato urinário masculino e feminino, além do sistema reprodutor dos homens. Os médicos que possuem especialização nesta área são chamados de urologistas e estudam para tratar, cuidar e acompanhar pacientes com distúrbios urológicos. A especialidade combina o acompanhamento de condições não-cirúrgicas como, por exemplo, infecções do trato urinário, e de condições cirúrgicas, como a correção de anomalias congênitas e o tratamento cirúrgico de cânceres. Estas anomalias na região genital são conhecidas como distúrbios geniturinários. Saiba agora quais são os distúrbios geniturinários mais comuns e entenda como é feito o tratamento deles.

  • Infecção urinária: Mais comum em mulheres, a infecção pode ser causada por bactérias ou vírus, que atingem a uretra e a bexiga. A enfermidade causa dores fortes e ardência ao urinar, além de querer ir ao banheiro constantemente. O Doutor Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes diz que dependendo do tipo a infecção pode causar também febre e sangue na urina. O tratamento se dá com o uso de antibióticos e anti-inflamatórios. 
  • Insuficiência renal: Geralmente é consequência de outra doença que danificou o rim, como a pielonefrite. O rim vai perdendo gradualmente a função de filtrar o sangue e, consequentemente, acumulando substâncias que deveriam ser eliminadas pela urina. O diagnóstico é feito por exames de sangue e urina.
  • Pedra no rim: As pedras se formam a partir do acúmulo de sódio e oxalato. Pessoas que bebem pouca água ou têm tendências genéticas sofrem frequentemente com o problema, pois eliminam poucos minerais. O Doutor Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes ressalta que as pedras podem se formar nos rins e no trato urinário, causando fortes dores, semelhantes às do parto.
  • Incontinência urinária: É frequente principalmente em mulheres idosas e envolve a perda do controle da bexiga, ou seja, a urina pode ser eliminada no simples ato de tossir ou espirrar. O diagnóstico é feito através de um relato diário de como urinou e quantas vezes precisou ir ao banheiro, que tem por objetivo verificar o quanto de urina foi produzida e o quanto permaneceu na bexiga após urinar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui