Saiba mais sobre a resenha da obra de Oscar Wilde – O Retrato de Dorian Gray

Não há dúvidas que Frederico Gayer Machado de Araujo é um grande entusiasta da literatura clássica e, sabendo disso, hoje nos revelou sua opinião sobre “O Retrato de Dorian Gray” de Oscar Wilde.

Trata-se de uma obra a qual resultou em muitos problemas para Wilde, que na época foi acusado de “crime de indecência” por ser um livro que abodava, também, temas como a homossexualidade (mesmo que de forma sutil), tornando de conhecimento geral que o autor, em vários momentos, usava seus personagens como uma representação de sua realidade. Frederico Gayer Machado de Araujo revela que a obra levou Wilde, além de sofrer censura, teve sua obra-prima usada como “prova” de crime,que o levou a ser preso em “flagrante”.

Algumas edições mantiveram-se censuradas até os dias atuais, entretanto, segundo Frederico Gayer Machado de Araujo, alguns partiram do original, eliminando toda censura e entregando ao leitor, de fato, a obra a qual Wilde escreveu.

É considerado um livro clássico por conta da boa escrita e a relevância do tema em escala mundial e atemporal. Frederico Gayer Machado de Araujo explica que as palavras transparecem o humor ácido do autor, deixando sua crítica a hipocrisia da sociedade.

De acordo com Frederico Gayer Machado de Araujo, o cenário é a Inglaterra vitoriana. Basil, mesmo a contragosto, apresenta Harry a seu mais novo amigo, Dorian Gray, um rapaz que está posando para o mais novo quadro. Neste momento, a conexão entre Harry e Dorian acontece instantaneamente, e logo percebemos que Harry terá uma grande influência na vida do rapaz dali em diante.

A princípio, conta Frederico Gayer Machado de Araujo, Dorian é um garoto inexperiente, mas, ao desenvolver a história, vemos que Harry desperta seu lado mais malicioso e diabólico que, na verdade, sempre existiu.

Frederico Gayer Machado de Araujo comenta que, o que faz do livro um clássico é a atemporalidade do assunto. Que nos faz refletir sobre o ciclo de variações e percepções da vida que vivemos diariamente.

A escrita é fluida e, mesmo tratando de temáticas complexas, não possui uma linguagem difícil, muito pelo contrário, a sensação é que está lendo um romance escrito nos dias atuais.

Com vários plots, Frederico Gayer Machado de Araujo comenta que o livro é ideal para aqueles que buscam uma obra clássica que não se enrola e possui reflexões ótimas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui