Mau uso das lentes de contato pode provocar danos graves aos olhos

As lentes de contato evoluíram ao longo dos anos, mas o mau uso do produto continua chamando a atenção dos médicos. Foi criada, então, a campanha Setembro Safira para conscientizar a população sobre as doenças graves que podem ser causadas nos olhos em decorrência desses hábitos prejudiciais.

Um estudo chinês publicado no periódico Eye apontou que a ceratite infecciosa ou úlcera das córneas (lesão ou infeção originada por vírus, bactérias, fungos ou parasitas), provoca a opacidade na córnea, que é a quinta principal causa de casos de baixa visão e cegueira no mundo. E a doença é bastante relacionada justamente ao mau uso das lentes de contato, que facilita a contaminação por micro-organismos.

Mais um possível problema da falta de cuidados é a baixa oxigenação da córnea, causada pela utilização das lentes por tempo prolongado. “Algumas pessoas podem desenvolver os chamados neovasos ou, em casos mais graves, sofrer danos nas celulas endoteliais. Em longo prazo, essas situações contribuem para a baixa visual e até mesmo para a necessidade de transplante de córnea“, explica Claudia Del Claro, oftalmologista de Florianópolis (SC), membro do Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

“Hoje, existem lentes com alta oxigenação, mas é preciso obedecer ao período de descarte sugerido pelo fabricante e o tempo de uso diário estipulado pelo oftalmologista”, completa a médica.

Se não houver cautela e respeito a todas essas orientações, outra consequência desagradável que o dono das lentes pode enfrentar é uma reação alérgica. Nessas circunstâncias, é preciso abdicar do acessório. Por isso, conta Claudia, o lema da campanha é ‘use bem para usar sempre’.

“No estudo chinês, foram identificados os comportamentos mais problemáticos entre os usuários de lentes, que são a falta de higiene, o uso por tempo prolongado [sem alternar com os óculos] e a demora em jogar fora as versões descartáveis”, cita a médica.

+ LEIA TAMBÉM: Lentes de contato com grau que escurecem no sol chegam ao Brasil

As encrencas têm aumentado, segundo a oftalmologista, porque a facilidade de comprar as lentes pela internet acabou banalizando sua utilização.

“Elas estão mais acessíveis, mas muita gente comete o erro de encomendá-las com base na receita do óculos. Só que a curvatura deles é diferente. O médico precisa fazer testes para encontrar o melhor modelo de lente”, aponta Claudia.

Os tipos de lente de contato

+ Gelatinosas: existem as diárias, as quinzenais, as mensais e as anuais. É importante ter em mente que esse é o tempo que leva para o produto perder a validade. Não tem a ver com a quantidade de vezes que ela foi utilizada.

+ Rígidas: além de corrigir graus elevados, elas são grandes aliadas de pacientes que têm ceracotone, doença que deforma a córnea e é causada pelo hábito de coçar os olhos. Essas lentes são durinhas e moldam a córnea para, assim, devolver a qualidade de visão. Existem as do tipo corneadas (menores) e as esclerais (maiores, que se apoiam na parte branca do olho).

“O médico vai definir qual o modelo mais adequado. É sempre melhor apostar nas diárias, porque corre-se menos risco de infecção. Mas elas são as mais caras. Portanto, a questão tem mais a ver com o custo e o poder aquisitivo de cada um”, resume a oftalmologista.

Cuidados com a higienização

  • Não utilize soro fisiológico para limpeza. Depois de aberta, a embalagem grande começa a perder a validade rapidamente, virando um prato cheio para micro-organismos. Se necessário, em casos de emergência, compre as ampolas, porque é possível fazer o descarte após um único uso.
  • Ao tirar a lente, utilize o produto de limpeza indicado pela marca. Friccione na palma das mãos e, depois, enxágue. Na hora de armazenar, é preciso descartar a solução que já estava no estojo e colocar uma nova quantidade antes de acomodar as lentes.
  • Os estojos também devem ser limpos diariamente com a mesma solução. Seque-o com uma toalha de papel.

+ LEIA TAMBÉM: Como cuidar dos seus olhos no novo normal

E se eu quiser passar maquiagem?

Antes de se produzir, o ideal é colocar as lentes para enxergar bem durante o processo. Fora que isso diminui o risco de sujar o acessório depois que os olhos já estiverem cheio de produtos. Chegou a hora de remover a maquiagem? Pois a retirada da lente vem antes. Faça toda a desinfecção dela para guardá-la. Só depois limpe a maquiagem.

Limite diário

A sugestão é que as lentes fiquem nos olhos de dez a 12 horas, no máximo. “Algumas pessoas enxergam mal com os óculos, e precisam das lentes por mais tempo. Cada modelo e organismo terão tolerâncias diferentes. É necessário acompanhar, com exames, a evolução do paciente”, orienta Claudia.

Os 10 mandamentos do uso de lentes

  1. Lave bem as mãos com água e sabão antes de manusear as lentes.
  2. Para limpar e armazenar, recorra somente à solução de limpeza específica para o produto (não use soro fisiológico nem água). Faça movimentos de fricção e enxágue.
  3. Não utilize as lentes após o seu vencimento.
  4. Todos os dias, após colocar as lentes nos olhos, despreze completamente a solução multiúso que ficou no estojo. Limpe-o com a própria solução. Substitua o estojo a cada três meses.
  5. Não durma com as lentes de contato.
  6. Não tome banho de chuveiro nem entre no mar, no rio ou na piscina com o acessório.
  7. Use colírios lubrificantes.
  8. Alterne as lentes com os óculos.
  9. Faça higiene nos cílios diariamente com xampu neutro ou produtos não oleosos próprios para o uso oftalmológico.
  10. As lentes de contato deve ser adaptadas e supervisionadas pelo médico oftalmologista. Em caso de desconforto, dor, olhos vermelhos ou visão embaçada, suspenda o uso e procure atendimento

O site da campanha Setembro Safira ainda tem depoimentos de quem chegou a perder a visão por maus hábitos, e um guia sobre o uso correto das lentes gelatinosas, modelos mais comum no mercado.